AMPARA no Pantanal

2020: O ínicio da jornada

QUERO AJUDAR!

AÇÕES DA CAMPANHA PANTANAL EM CHAMAS | AMPARA SILVESTRE







As ações da AMPARA Silvestre em conjunto com outras organizações ocorreram diretamente com 93 espécies em todas as 5 bases de atendimento.



No total, a operação ainda mobilizou 288 toneladas de alimento e mais de 7 milhões de litros de água.



















Ao todo, foram contabilizadas 451 intervenções de resgate ou atendimento emergencial, que resultaram na reabilitação e soltura de, ao menos, 100 indivíduos, e outros 118 foram transferidos para outras unidades de tratamento e reabilitação.






ACESSE O RELATÓRIO DETALHADO

NOSSA TRAJETÓRIA

Navegue na linha do tempo de todo o trabalho desenvolvido pela AMPARA Silvestre

em defesa de um dos biomas mais ricos do mundo.


Em 2020, o Pantanal sofreu sua maior tragédia.

E, em agosto deste mesmo ano, demos início a um trabalho que mudaria a nossa história para sempre.


Agosto/2020

Nosso responsável técnico, Jorge Salomão Jr., foi o primeiro veterinário a chegar no Pantanal durante os primeiros focos de incêndio. O cenário era assustador e a temperatura alcançava os 50 graus.

Em pouco tempo, o fogo tomou enormes proporções. A cada busca, centenas de animais foram avistados já carbonizados pelo fogo. A sensação de impotência era frustrante ao testemunharmos tantas vidas perdidas.

Os primeiros resgates

As equipes de veterinários, biólogos e voluntários trabalharam dias e noites, incansavelmente, atravessando rios e florestas em chamas durante os resgates. Eram horas dedicadas à travessia dos animais para as bases de atendimento.

Os animais encontrados ainda com vida tinham queimaduras de terceiro e quarto graus. Muitos deles precisavam passar pelos primeiros socorros ainda no local do resgate, pois sentiam muita dor e haviam inalado muita fumaça.

O mais importante durante todo o processo foi a união de forças, entre organizações, voluntários

e a população local, para que esse trabalho de resgate em prol da fauna fosse realmente possível.

Bases de atendimento

Setembro/2020

Em poucas semanas de operação, a equipe da AMPARA já havia estruturado coordenações técnicas em 5 bases de atendimento distribuídas estrategicamente no Pantanal. Ao todo, foram mais de 50 médicos veterinários atuando entre elas.

Base de atendimento 1 | Pousada Rio Mutum

A base de atendimento da Pousada Rio Mutum, localizada em Barão de Melgaço, é umas das duas bases que permanecem ativas até hoje. Em parceria com a pousada e com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Mato Grosso, nossa equipe reabilita e reintegra os animais resgatados. Essa parceria se mantém em 2021.

Base de atendimento 2 | Sesc Pantanal

A base de atendimento do Sesc Pantanal, localizado na Baía das Pedras, também é umas das duas bases que permanece ativa em 2021. Após recente trabalho de soltura de um cateto recém-reabilitado, resgatado em novembro de 2020, ainda temos 2 antas, sob os cuidados da nossa equipe, em tratamento nesta base. A parceria se mantém para atender futuras demandas de animais vítimas de queimadas no Pantanal.




UFMT | PAEAS | JAGUAR


Além das duas bases de atendimento que a AMPARA mantêm ativas até o momento, para a reabilitação dos animais que permanecem sob nossos cuidados, durante a operação de resgate, em 2020, existiam outras três bases atuando simultaneamente. As bases do Hospital Veterinário da UFMT, do PAEAS e da Pousada Jaguar recebiam, diariamente, animais em estado crítico, com queimaduras, desnutrição, caquexia e diversas alterações metabólicas.

Essas três bases de atendimento permaneceram ativas durante 5 meses.

Base UFMT

Base Paeas

Base Jaguar



Unidade Móvel de Atendimento de Fauna AMPARA Silvestre

Além das distâncias e da dificuldade de acesso - por conta do fogo e da característica natural do bioma -, muitos animais resgatados já eram encontrados em estado crítico de saúde (devido aos machucados, queimaduras e/ou ao excesso de fumaça inalada) e precisavam receber os primeiros socorros o mais breve possível. Não havia tempo e, muitas vezes, nem condições de deslocamento até uma base de atendimento veterinário. Para estes casos, a solução era realizar o procedimento dentro da Unidade Móvel de Atendimento de Fauna, que foi comprada com uma parte dos recursos arrecadados com a primeira vaquinha, feita através da plataforma Voaa.


Faça um rápido tour pelas estruturas da nossa unidade de pronto-atendimento sobre rodas.


Nosso trailer está à disposição dos resgates e atendimentos veterinários de animais em situação de emergência na região do Pantanal. Graças à ajuda de todos que nos apoiaram e colaboraram financeiramente, foi possível custear esse veículo capaz de acessar áreas remotas.


Segundo dados publicados pelo Conselho Federal de Biologia, mais de 22 mil focos de incêndio consumiram pelo menos 30% da vegetação nativa do Pantanal em 2020.


A destruição motivou um intenso debate na época, mas as autoridades, até agora, não se mobilizaram para implementar as medidas preventivas sugeridas a fim de evitar uma nova onda de incêndios generalizados na região durante a próxima estação de seca, nos meses de maio a outubro.

A tragédia de 2020 aconteceu devido à combinação da seca prolongada – um fenômeno natural agravado pelo aquecimento global e desmatamento – com a ação humana, por vezes criminosa, e o desleixo do poder público.

Além do monitoramento e resgate de fauna silvestre, um dos trabalhos mais importantes desenvolvido pelas equipes que estavam atuando em campo, foi o abastecimento diário de alimentos e água para os animais sobreviventes.


Contamos com a ajuda de parceiros que enviaram caminhões-baú para coletar e distribuir diariamente, ao longo da Transpantaneira, frutas, legumes e ovos para os animais vítimas dos incêndios no Pantanal. 


Com o apoio da equipe do É o Bicho, voluntários uniram esforços para distribuir alimento e água para os animais que resistiram à devastação. Comerciantes doaram frutas, verduras e legumes. Alugamos caminhões pipa e compramos mais de 350 cochos para distribuição de água para os animais. 


Também contamos com a força-tarefa de parceiros que, além de nos ajudarem a transportar suprimentos para o Pantanal, atuaram em campo, como base móvel, retornando com o lixo que produzimos. O que foi possível reciclar foi destinado à um parceiro e a madeira também foi destinada para reutilização - o lixo comum foi levado para a coleta normal. 

A AMPARA Silvestre atuou nos resgates em parceria com o IBAMA e contou com o apoio de diversos profissionais nas bases de atendimento para a realização de exames e para o tratamento dos animais resgatados, que incluíam laserterapia, ozônioterapia, células-tronco e pele de tilápia. Foram utilizados todos os recursos para a realização de procedimentos de ponta e o que há de mais avançado na medicina veterinária atual.



Demonstrativo financeiro


Em parceria com a plataforma de arrecadação Voaa, a vaquinha do Razões para Acreditar, lançamos a Campanha #PantanalEmChamas para custear o trabalho de resgate e reabilitação de fauna durante os incêndios no Pantanal.


Os recursos arrecadados foram usados para a construção de bases de atendimento, recintos, cirurgias, insumos e medicamentos veterinários, tratamentos especiais para queimaduras, transporte de animais, combustível para diferentes tipos de veículos (aquáticos e terrestres), alimentação de animais, alimentação, transporte e acomodação de veterinários, biólogos e voluntários, compra de containers, compra de unidade móvel de pronto atendimento, entre outros investimentos feitos em reformas/ampliações de recintos e auxílios à instituições para onde alguns animais foram destinados após o resgate realizado pela equipe da AMPARA.

O valor arrecadado com a primeira vaquinha se esgotou na segunda semana de dezembro, sendo necessária a realização de novas iniciativas de arrecadação para a continuidade dos trabalhos no Pantanal.

Amanaci e Ousado | Pantanal

Amanaci durante tratamento

Ousado no dia do resgate

Onça-pintada AMANACI

Onça-pintada OUSADO

Ousado é uma onça-pintada macho, que vive no Parque Estadual Encontro das Águas. Quando a equipe de veterinários e voluntários, liderada pelo responsável técnico da AMPARA, Jorge Salomão Jr. resgatou Ousado, suas quatro patas estavam em carne-viva, com queimaduras de terceiro grau. Ousado tentava escapar do incêndio quando as chamas alcançaram a região, queimando o solo em que ele pisava enquanto tentava escapar.


Ousado foi resgatado no início de setembro, passou 36 dias em tratamentos que incluíam célula-tronco e ozônioterapia, e foi solto na mesma região do resgate, em outubro de 2020. Ele segue monitorado pelo nosso parceiro Fernando Tortato, da equipe da Panthera, através de um colar GPS-Satélite com o objetivo de avaliar sua readaptação e acompanhar sua localização. O colar possui uma tecnologia drop-off, que faz com que ele se solte automaticamente após um período pré-programado - sem a necessidade de capturar o animal para sua retirada.


A volta do Ousado para casa representa a esperança da recuperação e simboliza o esforço de todos que trabalharam no combate aos incêndios florestais e no resgate da fauna afetada.

Balanço atual | Saldo Pantanal


Acesse o relatório detalhado

Destaques da AMPARA na imprensa

O Globo Repórter fez uma matéria revivendo os últimos tempos no Pantanal, após enfrentar a maior tragédia de sua história. A reportagem visitou nossas duas bases de atendimento ativas, onde ainda se encontram alguns animais em reabilitação, sob os cuidados diários da nossa equipe de veterinários e voluntários.


A matéria também mostra o trabalho de monitoramento pós-soltura do Ousado, a onça-pintada resgatada das chamas pela nossa equipe.



Trecho do documentário "Nosso Mundo 2021 - Anarquia na Amazônia", exibido pela BBC internacional, sobre as queimadas na Amazônia e no Pantanal.


A presidente da AMPARA, Juliana Camargo, deu entrevista para uma das maiores redes de jornalismo do mundo, a britânica BBC, durante a produção. A edição exibe parte do trabalho realizado durante as queimadas que afetaram o bioma.

O último Fantástico de 2020 fez uma matéria especial sobre as queimadas no Pantanal. A reportagem voltou ao cenário desta tragédia ambiental que marcou o ano e mostrou que a natureza está reagindo. E a recuperação só foi possível por causa da ajuda incansável de voluntários e ativistas.


Na matéria, você vê a reabilitação dos animais resgatados pela equipe da AMPARA, o processo de cuidados, e o trabalho que já dura mais de 6 meses pela recuperação da fauna pantaneira.

Encontro com Fátima Bernardes

Rede Globo

Matéria de capa

O Estado de São Paulo

Matéria para o Fantástico

Rede Globo

Quer falar com a gente?

QUERO AJUDAR!

contato@amparanimal.org.br

instagram.com/amparasilvestre

facebook.com/amparasilvestre